domingo, dezembro 19, 2010

Carlos Encarnação: o príncipe na manjedoura
As «razões políticas» de Encarnação (como por exemplo: «não tenho pachorra») podem ler-se na lamentável entrevista publicada ontem no Diário de Coimbra. Passou do «Por Coimbra com amor» a: "Não tendo idade, nem saúde, nem disposição anímica para continuar nisto, a única solução que tenho, como pessoa absolutamente livre e independente, é bater com a porta" (http://www.diariocoimbra.pt/index.php?option=com_content&task=view&id=10410&Itemid=135). É um facto, o processo do Metro Mondego deixa problemas por resolver; o ramal ferroviário da Lousã e a Farmácia Luciano & Matos, entre outros, são exemplificativos da actual situação. Porém, o conhecido endividamento da CMC muito passa por escolhas a nível de política local, o que faz com que as suas acusações ao «Governo» não passem de argumentos non sequitur...
Imagem disponível em: http://blog.nunocosta.eu/2009/08/por-coimbra-com-amor.html

4 comentários:

  1. Olá, André,
    Risos. Olha, nem sei, à luz da religião diz que se "faz carne", ainda estou à espera... (quando for grande quero "dar entrevistas" assim: de mau gosto gratuito!).

    ResponderEliminar