quinta-feira, dezembro 31, 2009

2010Vou sentar-me à lareira e pensar no "desenlace" da deslocação elíptica da Terra em torno do Sol.

Imagem disponível em:http://www.constelar.com.br/revista/edicao36/imagens36/ecliptica.jpg

(...)

quarta-feira, dezembro 30, 2009

Parece que Andam Faunos Pelos Bosques
«Mas também era certo haver enigmas no mundo dos fenómenos, para os quais a melhor forma de decifração são ainda as chaves absurdas...» (Ribeiro, A. (1985). Andam Faunos Pelos Bosques (ed. comem.). Lisboa: Bertrand Editora. p. 18).

terça-feira, dezembro 29, 2009

segunda-feira, dezembro 28, 2009

...
Ainda acreditei encontrar a Bertrand, a Fnac ou até a Almedina com um "slogan": 50% desconto. Pois sim, paguei os meus livrinhos e voltei para casa de coração "gelado".

domingo, dezembro 27, 2009

Destruktion
herança logocêntrica de um resuscitare fonocêntrico.
É tarde para seres legado do S. Graal - no reino de Artur!
Uma diferença interrompe o limite da corda,
lendo e escrevendo por outras margens.

sábado, dezembro 26, 2009

«Mes jours sont des nuits blanches»

sexta-feira, dezembro 25, 2009

«O MEU PESO

nas tuas mãos a-

bertas:

a paciência in-

sonora do meu desespero»

Celan, P. (2008). A Morte É Uma Flor. Poemas do Espólio (Barrento, J., Trad. e Pósf.). Lisboa: Edições Cotovia. p.109.

quinta-feira, dezembro 24, 2009

b) Sonho Procrastinado
Hoje não me apanhas no sono - não - não!

quarta-feira, dezembro 23, 2009

Sonho
"Alguém" anda a percorrer o meu inconsciente durante o sono! Premunições da minha consciência: não são propriamente desejos - Freud! E também não sei se "quero" compreender - Jung...

terça-feira, dezembro 22, 2009

Saga de política nacional da treta:

Quando eu era pequenina pensava que a "justiça" dava a alma à "democracia"; esta daria ânimo à "política" e, por sua vez, esta daria alento à melhoria da "formação". Quimera de tretas! Nos dias de hoje não há formação política, há uns joguitos emporcalhados de advérbios de modo + os conhecimentos "inter-relacionais" que, segundo o que tenho observado nos últimos dias – "é experiência política – muitos anos menina". Costumo ouvir bem (tenho uma sensibilidade apurada), sorrir e, até mesmo, fazer-me de ignorante (que ainda sou). A minha mente também atesta a ignorância de algumas pessoas e, no fim, o ditame da minha arrogância surge. A minha consciência lacrimeja (vá só uns minutinhos), mas não encontro outro modo de lidar face a tanto pretensiosismo, face àqueles tons de voz monocórdicos que têm tanto de educação como de hipocrisia…

Sei que não é suficiente, mas aquilo que era próprio dos antepassados e da sociedade grega arquetípica, como na República de Platão, era indagar por uma definição de "justiça" (dikaiosyne) que partia da asserção de (novamente) "justiça" como "a saúde da alma". Por sua vez, esta afirmativa originava a discussão de como seria organização da polis como um macroanthropos e da alma do homem como uma micropolis. Obviamente que a este método ("deficiente") acabaria por se chamar: «dialéctica». Partira de uma hipótese para mostrar que "ela" levava a uma contradição, apresentando assim, um elenchos. Ora, se o elenchos fosse bem sucedido e, se chegasse à contradição, então, a hipótese era refutada. Isto significa o quê? Que a corrupção era motivo de reflexão filosófica e, que era essencial discutir argumentos. Alguém se importa com isto? Não! É Natal, bom – bom, é ouvir o nosso Primeiro a elogiar o Francisco de Assis, Ricardo Rodrigues e Sérgio S. Pinto e, ainda, ouvir a senhora Leite a falar de "chantagem política". Será que o nosso Primeiro se lembra do final do livro I da República?! Sócrates – o verdadeiro – deixou-nos face a duas aproximações no "conceito de justiça": a) "justiça" como uma virtude (aretê) que "provocaria" a melhoria dos homens; b) como uma virtude ligada à arte política (tecnhê politikê). É Natal, Sócrates – o pérfido – até diz que «Nenhum de nós perderá se os homossexuais se poderem casar» (deve ser um presente natalício)http://www.tvi24.iol.pt/politica/socrates-casamento-gay-homossexuais-primeiro-ministro-tvi24/1111915-4072.html). Então, mas isso de «os homossexuais» quer dizer que são de uma linhagem diferente? "Epá" espero que não perca grande coisa, senão – ui – senão! Lembrar-se-á, ao menos (porque é ainda insuficiente) do que disse Aristóteles no Livro V da Ética a Nicómaco: "A justiça (dikaiosyne) é a virtude que nos leva a desejar o que é justo (dikaion)". No sentido comum: dikaion pode significar tanto o legal (nomimon) como o igual (ison), uma dicotomia manifestada na linguagem popular – legal/igual que marca dois modos de se estabelecer o que é devido a outrem: pela lei ou pela igualdade...

Sou de Esquerda, não sou fanática...

"Padre aconselha fiéis a roubar"

segunda-feira, dezembro 21, 2009

Auto-estrada
Do Porto para Coimbra com 15km de obras...
E esta hein!?

domingo, dezembro 20, 2009

Melancolia do "amor platónico"

Não sei se está em causa a percepção visual conjugada com a cor aditiva, desconheço se a informação cerebral irá pactuar com a cor que os olhos vêem. Talvez esteja perante uma focalização restritiva. Porém, se a traição rompe um movimento poético, o que torna indelével esta "narrativa"?

Imagem disponível em: http://www.drugstruck.com/images/itmfl-blog-1.jpg

sexta-feira, dezembro 18, 2009

Qual a mensagem deste roubo?

Imagem disponível em: http://sensoincomum.zip.net/images/auschwitz2.jpg

Resistentes «como eu»:

"A primeira descrição de resistência bacteriana a antibióticos deve-se a Abraham e Chain, em 1940, com o aparecimento de estirpes de Staphylococcus aureus produtoras de penicilinases, enzimas que inactivam por hidrólise as penicilinas" (Ferreira, W. F. C.; Sousa, J. C. F. (Coord.) (1998). Microbiologia (Vol. 1). Lisboa: Ed. Lidel. p.239).

quinta-feira, dezembro 17, 2009

Vaticano

Argamassa de «teologia catafática», de «teologia apofática» e de «teologia superlativa»...

terça-feira, dezembro 15, 2009

Diálogos...

O "louco" do Nietzsche diria: «Enquanto que é próprio do prazer permanecer em si, sem olhar retrospectivamente, a dor exige sempre razões». Será? Se à beira de um evento há sempre um fim impossível de ser iluminado e, se a corporeidade do "eu" se torna susceptível de ser ferida, então, também é admissível supor uma viés na resposta ética ao sofrimento. Quando? Sempre que o "eu" se tenta determinar a si mesmo de modo auto-gratificante!!!

segunda-feira, dezembro 14, 2009

"About The Lines That Divide Us"

Entre a curiosidade do explorar e a saída da inocência para a "consciência". A passagem a um limbo de consequências...

domingo, dezembro 13, 2009

Nascimento aporético:
Natal das comemorações por um Jesus dos Romanos.
Vivência de uma modernidade contemporânea!
Nova tradição para não-cristãos,
Herança perdida dos Magos de uma hipotética Babilónia...

by, Jeune.
Copenhaga: problemas não-estáticos retratados como estáticos

A diferença entre um discurso e uma conferência faz-me questionar: o que é uma "cimeira"? Porquê?! Porque um discurso imperativo de limites não faz mais do que reafirmar esses mesmos limites. Imperatriz: será a articulação dos países desenvolvidos com os países em desenvolvimento. Relacionação de todos esses discursos radicais - como o «ecofeminismo» (a problemática do androcentrismo no ambiente) e a «ecoteologia» (a lembrança da importante macroeconomia) - com democracias participativas e representativas (lembram-se dos pilares do partido verde alemão?)...

sábado, dezembro 12, 2009

Sermão de S. Agostinho na voz de Vieira:

"Se não há justiça, que são os reinos senão grandes latrocínios? Pois os latrocínios que outra coisa são senão reinos pequenos?" (Vieira, P. A (1958). « Sermão do Bom Ladrão». Sermões E Cartas Do P. António Vieira ( 2ª ed. Fascículo Terceiro). Braga: Livraria Cruz. p. 17).

terça-feira, dezembro 08, 2009

Assassinato de um poeta:
«Der Schmerz schläft bei den Worten»
(29-6-1961)
"A DOR DORME COM AS PALAVRAS, DORME, DORME.
Dorme e vai buscar nomes, nomes.
Dorme e a dormir morre e renasce.
Uma semente germina, sabias?
Germina, germina
uma semente da noite, nas ondas, um povo
começa a crescer, uma estirpe
da-dor-e-do-nome -: firme
e como que desde sempre submersa
e fiel -: a não-
-existente,
a viva
e minha, a
tua."
Celan, P. (2008). A Morte É Uma Flor. Poemas do Espólio (Barrento, J., Trad. e Pósf.). Lisboa: Edições Cotovia.

segunda-feira, dezembro 07, 2009

domingo, dezembro 06, 2009

Às portas de Copenhaga

Mais de Arne Naess ou mais de Murray Bookchin? Uma acção baseada num discurso sobre o desenvolvimento sustentável? Um movimento sob uma exposição prometaica do desenvolvimento sustentável? Um acontecimento baseado num conceito demarcado de modo não ambíguo? A verdade é que o modo como se repensa uma transposição (entre o pensamento e a acção) retrata diferenças abissais... Guha pensou no «ambientalismo dos pobres», Françoise d'Euabonne deu a pensar o «ecofeminismo», Lynn White anunciou uma «ecoteologia». E nós? O que impede uma representatividade eficiente, dos verdes, no nosso parlamento?

sábado, dezembro 05, 2009

O Suicídio de D. Dinis:
Eu compreendo-o! Também ouvi a Senhora dizer aos seus meninos: "Aqui está a estátua de D. Afonso Henriques" (É verídico). Seja relembrada a sua coroa enquanto «Rei-Trovador», pois do seu feito através da Magna Charta Priveligiorum, já Coimbra se esqueceu...
Foto minha

sexta-feira, dezembro 04, 2009

Será que o «Pai Natal» sabe o que é uma "Edição Fac-Símile"?

Imagem disponível em: http://www.fnac.pt/pt/Catalog/Detail.aspx?cIndex=0&catalog=livros&categoryN=Livros&category=poesia&product=9789726656302

quinta-feira, dezembro 03, 2009

Estudar "Direito"?
Direito é na Faculdade de Direito da UNL! Estudar numa Faculdade com "atenção peculiar": "sabem" o nome de todos os alunos e, no ano transacto, a empregabilidade para os recém - "formados" foi superior a 90% (Sim, a "senhora" disse que só dois alunos não ficaram "colocados". Não há problema nenhum: "eles" vêm de uma classe média-alta)...
É caso para dizer: «por cristinho»!

quarta-feira, dezembro 02, 2009

terça-feira, dezembro 01, 2009

Sentimento intemporal
Um olhar fugaz,
Um toque adiado,
Palavras avassaladas através de um sorriso...
Feriado

Levaram-me metade do cabelo. Sinto-me despida. Que horror...