domingo, novembro 01, 2009

Submersa

Luz, luz, onde estás?
Agora que vejo o escuro,
agora que sinto aquele frio sem sentir,
agora que não atravesso o teu olhar,
agora que pensava que brilhavas comigo...
Luz, luz, onde estás?
Será que estiveste comigo
ou estiveste no fundo de um outro oceano?
Até no oceano, por certo, brilhas mais do que um dia brilharei...
Mas quem és tu?
Um dia foste luz
e, neste momento, és vento que não se sente, és luz que não brilha, és amor que não tem coração, és tudo, não sendo nada.
Não és, foste... Hoffnung. (by, Jeune)

Foto "de" Yonaguni.

2 comentários:

  1. já tinha lido esse poema algures :)

    nostálgia

    ResponderEliminar
  2. Os anos já são tantos que conheces os meus cadernos, risos, pensamentos... :-)

    ResponderEliminar